17 de maio de 2017

Nildrien - o pergaminho, de Manoel Batista

SINOPSE: Em um mundo de fantasia medieval, o despertar de uma poderosa energia em uma caverna milenar e remota faz com que os mais poderosos reinos de Nildrien se mobilizem para conseguir o artefato portador do poder: um antigo pergaminho criado pelo maior de todos os magos, contendo feitiços capazes de afetar o equilíbrio mundial. Sem poder enviar seus mais experientes e poderosos membros, resta às forças de reinos aliados formarem um grupo de jovens aventureiros para enviá-los ao maior desafio de suas vidas: uma aventura entre guerreiros, magos e monstros que dividem um cenário onde o fantástico e a magia se mostram mais presentes do que nunca. Uma jornada que mudará para sempre a vida desses jovens, repleta de drama, ação e humor.



“Que os deuses o acompanhem.”


Julgar o livro pela capa não deve ser o único "pecado do leitor", tanto que descobri que também julgamos uma história pelos primeiros capítulos. E eu julguei Nildrien assim nos primeiros capítulos, e ainda bem que não desisti. Sabia que poderia encontrar algo fantástico logo adiante.

Nildrien é um novo mundo criado pelo autor Manoel Batista, onde as divisões continuam sendo por continentes, e é em Dalend que a história acontece. É importante, para melhor entendimento da história, que o leitor entenda de verdade a divisão desse mundo medieval criado pelo autor brasileiro. Caso isso não ocorra, por falta de recursos ilustrativos (mapas ou um capítulo explicando a divisão), será difícil entender o cenário da história. Esse foi a primeira dificuldade que encontrei na leitura.

Nos primeiros capítulos são apresentados os personagens principais da história, contando individualmente o motivo que os levarão a missão do livro. E foi nessa parte que desanimei, como cada capítulo conta a história de um personagem diferente, e são muitos personagens, eu não sabia se as histórias deles iam se cruzar em algum momento, ou se o objetivo do autor era contar pequenos relatos.


Felizmente, a história deles se cruzam. No campo de Dalend existe uma Caverna Antiga, cheia de labirintos e segredos. Nessa caverna, mineradores foram mortos por criaturas que vivem nela, apenas um sobreviveu. Esse minerador trouxe para a cidade informações sobre as criaturas estarem perturbadas e um mapa de como chegar em um esconderijo que foi encontrado.

É em busca desse esconderijo, onde guarda o pergaminho do mago Arkross, que os personagens apresentados no começo são recrutados pelo Reino da Luz à expedição de encontrar o esconderijo e pegar o pergaminho antes que ele caia em custódia de Asenhar, o Reino das Trevas, que também está indo em direção à Caverna Antiga.

O que ambos grupos não sabem é que uma dupla, Raven e Nayhan, estão indo com o mesmo objetivo que eles.

Então, os capítulos ficam alternando entre o grupo de Nalim (recrutados do Reino da Luz) e a dupla. Contando suas aventuras no campo de Dalend, as confissões, estratégias e conflitos com adversários. E o que achei mais interessante das lutas e encontros indesejados é que quando aparecia uma criatura diferente que o autor mencionava no livro o seu nome, eu ia pesquisar a imagem para visualizar melhor a luta e descobria, na maioria das vezes, que eram personagens de jogos. O autor conseguiu infiltrar na história literária um outro mundo que é o dos games.



E, mais ou menos no meio da história, enfim entendi - creio eu - o objetivo do autor ao nos apresentar detalhes dos personagens principais no começo. A apresentação detalhada faz o leitor se sentir mais familiarizado com o personagem no sentido de entender "porque ele está nessa missão", "o que fez ele tomar tal atitude" ou "porque ele se sente recuado quando fazem determinada coisa" e isso só acrescentou na leitura, fazendo ela ficar mais rica em detalhes, sem sobrecarregar a mente.

Então, por mais que eu tenha me sentido confusa sobre os detalhes que citei no começo da resenha, ainda assim achei a ficção medieval incrível pelos motivos citados. ❤ Indico mais esse nacional para vocês.


“— Como acabei de lhe dizer, para tudo existe um motivo... Toda e qualquer criatura, todo e qualquer encontro que você venha a ter com qualquer pessoa em nossa vida, tudo isto não é mera coincidência, sempre há uma razão para tal.”

Onde comprar o livro: Grupo Novo Século Redes sociais do autor: Facebook | Skoob 



                                                       Create a dream.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oii!!! Eu adoro fantasias. A ficção fantástica tende a prender a minha atenção de uma forma que qualquer outro gênero deixa a desejar. Uma coisa que eu acho importante é a construção eficiente da história. Pela resenha, Nildrien pareceu ser um pouco confuso e mal estruturado no começo, e isso tende a afastar um leitor menos dedicado, ou desanimar até os mais fervorosos. Mas, pela resenha, estou ansioso para descobrir o que me aguarda em Nildrien.
    Kah, linda, parabéns pela resenha. Como sempre, se superando!
    Melhor Blog ❤

    ResponderExcluir
  3. Mulheeer, eu tenho uma lista gigante de livros que quero ler, mas o tempo pra ler está corrido... Mas com toda certeza, irei acrescenta-lo! Adorei a resenha que tu fez.
    Vim la do insta, Adorei seu blog, parabéns, sucesso!

    Beijos.

    Instagram  |  Facebook 

    Bora mudar de visual o blog? Visite e conheça meu trabalho:

    falaguriablog.wix.com/designbyju  - Faça seu orçamento.

    ResponderExcluir
  4. Oi Karol, tudo bem? Tem uma colunista do blog lendo e espero que ela tb goste apesar de ter tantos detalhes assim. Adorei sua resenha sincera.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir